Outubro Rosa|”juntas sem medo”

A Larissa Ribeiro fala sobre:

O câncer de mama não é uma sentença de morte, muito menos um mal incurável. Embora seja um tema difícil de tratar, aumentar o conhecimento sobre o câncer pode ajudar a salvar vidas e desconstruir o temor da doença.

Conheça as nossas joias aqui!

O câncer de mama

Segundo o Instituto Nacional de Câncer, é uma doença resultante da multiplicação de células anormais da mama, que forma um tumor com potencial de invadir outros órgãos. A maioria dos casos tem boa resposta ao tratamento, principalmente quando diagnosticado e tratado no início. Por isso a importância de divulgar.

Causa

Existem vários fatores relacionados ao câncer de mama. A partir dos 50 anos aumenta o risco de desenvolver a doença.

Alguns fatores de risco são:

  • Sedentarismo (não fazer exercícios)
  • Sobrepeso após a menopausa
  • Não ter amamentado
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa
  • Parar de menstruar depois dos 55 anos
  • Ter feito uso de pílula anticoncepcional por tempo prolongado

Isso não significa que a mulher que apresenta um ou mais desses fatores de risco terá obrigatoriamente a doença.

Sinais e sintomas do câncer de mama

  • Caroço endurecido. Está presente em mais de 90% dos casos. (geralmente é indolor)
  • Alterações no mamilo (bico do peito).
  • Pequenos nódulos (caroço) na região do pescoço ou axilas.
  • Pele da mama parecida com casca de laranja, avermelhada.
  • Saída espontânea de líquido de um dos mamilos.

Caroço na mama em mulheres com mais de 50 anos deve ser investigado. Em mulheres mais jovens qualquer caroço deve ser investigado se persistir por mais de um ciclo menstrual.

Como a mulher pode identificar, ela mesma, os sintomas de um possível câncer de mama?

Conheça suas mamas, procure palpar, olhar e senti-las no dia a dia para reconhecer o estado normal e conseguir identificar alterações suspeitas quando houverem e se houverem.

Quais são os tipos de exame e quando fazer cada um

Exame clínico das mamas

É o exame mais simples, consiste na observação das mamas por um médico ou enfermeiro e deve ser feito quando você identificar alterações suspeitas.

Mamografia de rastreamento

É um exame que pode ser feito de rotina, o ideal é que mulheres de 50 a 69 anos façam a cada dois anos. A mamografia de rastreamento é uma radiografia das mamas que serve para identificar o câncer antes de apresentar os sintomas.

Mamografia diagnóstica

Pode ser feita em qualquer idade e diferente da mamografia de rastreamento, serve para avaliar uma alteração suspeita.

Importante!

Os exames que citei acima apenas identificam alterações suspeitas, para confirmação do câncer é preciso um exame histopatológico.

É um direito da mulher e dever do estado o acesso à investigação diagnóstica das alterações suspeitas da mama, de modo ágil e com qualidade.

Compartilhe essas informações.

Conheça as nossas joias aqui!

Comentários

Comentários